Busca

Carregando...

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

7 erros em entrevista de emprego que podem eliminar candidato




Entrevista de emprego (Foto: Reprodução/TV Globo)
Quem pensa que ter um bom currículo, recomendações impecáveis e apresentação pessoal adequada são suficientes para se dar bem em um processo seletivo está enganado, pois a entrevista de emprego é que pode decidir se o candidato continuará no páreo.

Em tempos de mercado de trabalho encolhendo, o candidato deve ter jogo de cintura e conhecimentos necessários para responder as perguntas do recrutador adequadamente, sem cometer gafes, de acordo com Madalena Feliciano, diretora de projetos da empresa Outliers Careers.

A coach mostra abaixo as 7 posturas inadequadas mais frequentes durante entrevistas de emprego e que devem ser evitadas a todo custo.

sexta-feira, 17 de julho de 2015

3 perguntas para fazer a si mesmo antes de começar o primeiro emprego



Confira dicas para começar investir em seu futuro profissional ainda na universidade Muitos estudantes apresentam dúvidas ao entrar no mercado de trabalho. Afinal, escolher a área de atuação correta e ao mesmo tempo ter que conciliá-la com a vida universitária pode não ser uma tarefa fácil. Para que você se sinta realizado e satisfeito no futuro, o primeiro passo é fazer uma análise sobre o seu próprio perfil, identificando quais são as suas principais habilidades e dificuldades.


Fonte: Shutterstock

sexta-feira, 26 de junho de 2015

5 truques de networking para tímidos


Claudia Gasparini

Se você começa a suar só de pensar em networking, aí vai um refresco: a missão é difícil até para os seus colegas mais extrovertidos.
Os tímidos só estariam em desvantagem, explica Maurício Cardoso, co-fundador do Clube do Networking, se obter sucesso na tarefa dependesse meramente de trocar sorrisos, falar amenidades e distribuir cartões. Não é o caso.
Fazer contatos, explica Cardoso, não é uma ocasião social, em que os “populares” se sobressaem aos “quietinhos”. Trata-se de um investimento complexo, de longo prazo, que exige profundidade, seriedade e comprometimento para dar certo.  

© Foto: Thinkstock/Cameron Whitman 
Timidez: quem gasta energia com interações sociais deve fazer um networking econômico e seletivo

Outro detalhe coloca extrovertidos e introvertidos em pé de igualdade: brasileiros, de forma geral, têm resistências culturais à prática.
“Ao contrário dos norte-americanos, por exemplo, os latinos veem o networking como um jogo interesseiro, um modo de tirar proveito de outras pessoas”, explica Fabrício Barbirato, diretor executivo do IDCE (Instituto de Desenvolvimento de Conteúdo para Executivos).

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Currículo não é mais ferramenta para conseguir emprego



Recrutadores já não estão mais interessados no currículo dos entrevistados. Para encontrar o candidato ideal é preciso ouvir sobre experiências anteriores, como ele lida com trabalho em grupo, muito mais do que uma folha de papel tem a dizer. Hoje, ter um currículo bonito e bem escrito significa pouco na hora de ser contratado.

É comum que as pessoas, ao se prepararem para procurar um emprego, preocupem-se muito em fazer um documento bonito e completo, porque faz sentido usar o currículo como um facilitador para escolher bons candidatos. Em um processo de seleção com muitas pessoas pode ser um bom método para selecionar pessoas mais preparadas.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Vai enviar currículos? Terça-feira é o melhor dia, diz pesquisa



Se você está pensando em se candidatar para uma vaga, deve esperar até uma terça-feira para enviar o seu currículo para aumentar as suas chances de conseguir a vaga.

A dica pode parecer meio bizarra, mas segundo um levantamento realizado pela SmartRecruiters e divulgado pelo site Business Insider, terça-feira é o dia mais popular para as empresas publicarem anúncios de emprego.

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Como realmente ser cativante numa entrevista de emprego

Tom de voz, palavras escolhidas, expressões faciais - numa entrevista de emprego, o candidato transmite ao recrutador diversos sinais conscientes e inconscientes. Às vezes surge empatia entre as duas partes. Às vezes não.
Isso acontece por uma razão simples: o seu avaliador também é uma pessoa. “Ele é treinado para amenizar o impacto da sua subjetividade no processo, mas nunca consegue eliminá-la completamente”, explica Jacqueline Resch, sócia-diretora da Resch Recursos Humanos.
No entanto, o peso da conexão pessoal para o sucesso da entrevista é relativo. Você nunca vai conquistar uma vaga só porque ganhou a simpatia do recrutador, segundo ela. “Ele pode até pensar que adoraria tomar um chope com você, mas nada vai mudar por causa disso”, diz.